Eu só queria ser invisível!



Esperei muito por isso e confesso estar realizado. Estou caminhando para o fim do colégio e não tenho ninguém que venha me contar seus problemas, não tenho alguém pra me falar sobre um jogo que não me interessa, nem ao menos alguém pra me contar as fofocas da turma. Lutei muito por isso e hoje não ter ninguém no meu pé, é a vitória.

Eu costumo comemorar todos os dias que não sou atormentado por outra pessoa além dos professores. Bebo, durmo tarde e quando estou sem sono ando pela cidade quando todos já estão dormindo.

As primeiras noites caminhando pelos becos e vielas da cidade foram perturbadores, tem uma galera que é meio punk, parecem zumbis. Andam pelos cantos das paredes e nunca estão bem cheirosos. Confesso que já tive dó mas hoje não ligo mais. Digamos que esse sentimento de indiferença nasceu quando eles se acostumaram a me ver pela noite. É isso, amizade gera indiferença e na verdade todo interesse parte da vontade de se estar melhor. O interesse vem do egoísmo e da inveja.

Eu sempre vou pra escola do mesmo jeito, óculos escuros, uma camiseta preta qualquer, all-star e uma calça escura. Não me importo nenhum pouco se não estou na moda, na verdade tem uma galera que também anda vestido assim mas, não gosto de me misturar, já tentei conversar com eles no começo mas eles eram daqueles que se achavam os donos das bandas, ficavam discutindo sobre quem conheceu a banda primeiro e tal. Eram uns babacas.

Além dessa galera, tem o grupinho das cheerleaders, dos nerd's enfim, igual qualquer filme sobre high school clichê que você já tenha assistido.

O lance é que eu não suporto nenhum desses grupinhos, minha mãe diz que eu não suporto as pessoas. Eu não gosto de concordar com ela mas acho que tem razão.

Eu realmente não gosto das pessoas. Por mais que elas estejam nessas "facções" diferentes, são todos iguais. Os caras que gostam de futebol são idênticos a galera do skate, e as cheerleaders são iguais as nerd's. Parece loucura mas todos querem a mesma coisa, talvez tentem conquistar tudo isso de formas diferentes mas, é tudo a mesma coisa.

Não sou um antropólogo nem nada disso mas, eu sei do que estou falando. É por isso que eu não me interesso nenhum pouco por nenhuma dessas pessoas!

Tenho tido dificuldades para dormir depois que essa garota maluca entrou na sala. Ela é engraçada, tem um cabelão cacheado que fica amarrado de um jeito todo bagunçado, vive usando all-star com meias longas e coloridas é diferente, ela também tem vários vestidos pretos. O problema é que ela não sabe que deve me evitar de todas as formas possíveis, eu suspeito que ela em breve virá caminhando daquele jeito maluco. Ela anda como se estivesse caminhando nas nuvens, deve ser meio perdida...

Eu vi que uma galera estava falando algo sobre mim pra ela, espero que isso seja o suficiente para mante-lá afastada de mim...

Ele não é um vampiro, não mesmo! E o clichê? Ah, Tenham piedade de mim, eu não resisto ao velho clichê.

Comentários

Postagens mais visitadas