Protocolo pré-namoro, Por favor anote...

Ela me guiou pela mão, seu pai estava sentado na poltrona e tinha uma cadeira um pouco a frente. Minha Isa me apresentou à sua mãe e me levou pra sala onde seu pai estava, me soltou lá e saiu pra cozinha com sua mãe.
Confesso que minhas pernas tremiam um pouco, dona Ana era uma senhora muito simpática e adorável, Sr. João estava lá sentado com uma postura e expressão séria. Me mandou sentar e depois de perguntar minhas intenções, planos, sonhos e o que sinto por sua filha, fez aquilo que meus amigos disseram que ele faria. Me ameaçou de formas horríveis hahahahahah Disse que se eu magoasse sua filha ele acabaria comigo, dentre outras coisas.
Quando nossa conversa terminou ele mudou completamente de figura, me abraçou, beijou e me chamou de filho. Era um bom homem, sem dúvida.
Eram linha-dura mas me tratavam como alguém da família, era incrível, ainda mais agora morando sozinho e distante da minha família, era ótimo ser tratado daquela forma.
Alguns meses depois, numa sexta-feira, cheguei para busca-lá e também para pedir que Isa dormisse em casa da sexta para o sábado. Ela ficou do meu lado o tempo todo calada, sua mão tremia e seus pais diante de nós, conversaram um pouco, nos deram um leve sermão e permitiram. Quando eles disseram que tudo bem, mal podíamos acreditar. Isa soltou minha mão e correu pro seu quarto pra arrumar algumas coisas que queria levar pra casa.
Depois do jantar, compramos algumas cervejas e fomos pra casa.
Durante toda a noite nos divertimos muito, jogamos 21, ouvimos música, dançamos, fizemos um bolo que ficou péssimo e fomos pra cama umas 02 da manhã. Ela ainda estava com a maquiagem que fez para o jantar, estava linda. Nos deitamos frente a frente e por alguns minutos só nos olhamos. Ela se achegou pra mais perto, colocou sua cabeça no meu peito e pediu para que eu recitasse os poemas preferidos dela. Quando terminei o segundo, ela já tinha dormido. Eu estava maravilhado com sua doçura, com sua beleza simples e com seu jeito único de me fazer melhor do que sou.
Acordei com alguns barulhos vindos da cozinha, ela já não estava mais sobre meu peito, já tinha acordado e feito café.
Eu me lembro bem como ela estava linda na noite passada, tínhamos ido jantar num restaurante italiano, ela estava com um vestido lindo, no cabelo uma trança embutida que parecia complexa, tinha passado um daqueles batons matte's bem escuros, lápis de olho e tudo mais. Eu sei de todas essas informações porque ela me explica tudinho...
Enfim, na noite passada ela estava incrível e quando acordei, estava ela encostada na mesa, segurando uma xícara de café me olhando passar do quarto para o banheiro. Já tinha lavado o rosto e tirado toda a maquiagem, o cabelo já estava totalmente diferente, tinha virado um rabo de cavalo básico, o vestido deu lugar a um moletom cinza e quando entrei para a cozinha, ela veio me beijou e me olhava meio tímida, talvez imaginando o que eu pensava sobre ela, e sobre como estava depois de pela primeira vez, vê-lá assim, logo depois de acordar.
Preciso confessar que foi uma diferença significativa, ela estava linda na noite passada mas estava perfeita naquele moletom velho, a maquiagem estava ótima mas o rosto limpo revelava toda sua pureza, o cabelo estava belíssimo, mas aquele simples rabo de cavalo era um convite irrecusável ao seus braços.
Os vestidos, a maquiagem e tudo mais, são ótimos mas, não há nada melhor que a beleza natural da minha Isa ao acordar.
O moletom, os shortinhos, a minha camisa, os pés descalços revelam toda sua beleza, de forma tal que nenhuma maquiagem por mais cara que seja, nenhum vestido por mais belo que seja seria capaz de fazer.
Os anos passaram, agora ela tem um barrigão, está carregando nossa filhinha Sofia e mesmo assim, continua me tirando o fôlego manhã após manhã, com seu cabelão bagunçado, com os pés descalços e sua carinha de quem acabou de acordar...

Comentários

Postagens mais visitadas