Jack é só um bêbado!




Fileiras e fileiras de pessoas com os braços erguidos, em suas camisas sociais e vestidos longos e comportados demais para o gosto de Jack. As vozes cantavam em coro o hino 83. Jack mal podia distinguir as palavras cantadas, menos ainda as letras que dançavam na página branca do hinário que sua irmã segurava ao seu lado.


- Senhor se você existe mesmo, acabe com isso, por favor! – Jack pensou enquanto torcia para que dessa vez; somente hoje, seus pais não notassem que seus olhos estavam fechados pelo sono, e não por uma longa e devota oração. Nunca funcionou, mas estamos na igreja, milagres acontecem.... É o que dizem!
Jack não era um ateu militante, na verdade, não se importava com ninguém além de si mesmo. Quem quisesse crer, que cresse e vice-versa.


Jamais fora obrigado a ir aos cultos no domingo de manhã na Igreja batista do bairro, mas ia ainda assim. Torcia para que o Pastor pregasse uma boa mensagem, que acalmasse o coração de seu pai das intempéries da semana, amenizando assim a bronca que com toda certeza levaria após o culto.


- Que seja uma boa mensagem, sobre perdão, amor, compreensão.... Essas coisas! - Jack se retorceu na cadeira quando entendeu que a mensagem de hoje, não seria sobre amor, perdão ou compreensão como desejava. Seria sobre os filhos maus de um rei de Israel. Pelo menos uns 40 minutos de sono – Se não fosse é claro, a ida de sua mãe ao banheiro alguns minutos antes, e depois a troca de lugares entre sua mãe e seu pai.


Com o pai ao seu lado, não poderia dormir nem por um segundo. Tudo o que lhe restou foi esperar ansioso por um plot twist. Talvez o Pastor enfiasse o perdão e o amor no meio de tudo isso, e ele então fosse perdoado por mais uma noite vadeando na rua. Por mais um culto de ressaca e pela vergonha que seus pais passavam com ele. - É tudo que peço senhor, faça esse homem colocar amor e perdão nessa mensagem!

Comentários

Postagens mais visitadas